img

GERAL

Fapesc aprova cinco projetos de pesquisa e destina R$ 500 mil a estudos sobre Covid-19 em SC

Publicado em 05/06/2020

Fapesc aprova cinco projetos de pesquisa e destina R$ 500 mil a estudos sobre Covid-19 em SC

A epidemia causada pelo novo coronavírus tem desafiado cientistas do mundo todo a buscar soluções para conter e tratar a doença. Pesquisadores catarinenses também fazem parte dessa ação global no combate à Covid-19 e seus efeitos. A lista de aprovados já está disponível em www.fapesc.sc.gov.br.


Para reforçar esses trabalhos, a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação de Santa Catarina (Fapesc) divulgou nessa quarta-feira, 3, o resultado do edital 06/2020 que vai destinar quase R$ 500 mil a cinco diferentes estudos concentrados na área de saúde.

Foram realizadas 97 submissões entre os dias 20 de abril e 5 de maio. O edital buscava estudos que apontassem soluções para o combate à epidemia e seus efeitos na sociedade e na economia. No entanto, as cinco pesquisas contempladas com recursos da Fapesc estão diretamente relacionadas ao diagnóstico e ao tratamento da doença.

Em primeiro lugar, foi aprovado um trabalho para desenvolver um teste sorológico rápido e ultrassensível para Covid-19. O projeto é do Laboratório de Biologia Celular e Molecular da Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc), a pesquisa tem como objetivo produzir testes rápidos e com mais segurança nos resultados. Para isso, contará com R$ 100 mil da fundação.

Em seguida, foi selecionado o projeto de teleatendimento com interação médico-paciente à distância. O trabalho do Departamento da Ciência da Informação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), terá investimento de R$ 97 mil para desenvolver um sistema de atendimento via chat, áudio e vídeo para dar suporte a consultas e diagnósticos dos pacientes. A plataforma estará disponível na web, seguindo protocolos internacionais, e poderá ser usada em qualquer unidade de saúde dentro e fora do Estado.

Em seguida está o trabalho do Centro de Ciências Agroveterinárias (CAV) da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). A equipe de Lages irá receber R$ 100 mil para ativar um laboratório para realização de exames para identificação da doença, assim como a criação de um painel de monitoramento dos casos na região.