img

TECNOLOGIA

Pesquisa aponta aumento do consumo de lives e videoconferências durante a quarentena

Publicado em 24/06/2020

Pesquisa aponta aumento do consumo de lives e videoconferências durante a quarentena

Panorama Mobile Time/Opinion Box - Uso de Apps no Brasil revela que metade dos usuários de smartphone conversaram mais em vídeo e viram mais eventos online pelo smartphone durante o isolamento social


Esta foi a primeira que a pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box - Uso de Apps no Brasil analisou o consumo de transmissões ao vivo (lives) e de videochamadas. A inclusão desta sondagem foi motivada pelo isolamento social imposto pela pandemia da Covid-19, que levou os brasileiros a ficarem em casa para sua proteção, mas também para trabalhar, estudar e acompanhar os filhos nas salas de aula virtuais, elevando o número do consumo deste tipo de conteúdo por meio de dispositivos móveis. No caso das videochamadas, entre os 2.017 brasileiros pesquisados entre 6 e 13 de maio de 2020, com 16 anos ou mais e que possuem smartphone, 88% declaram que já realizaram uma videochamada com o seu aparelho.

A videochamada é uma prática mais comum entre as pessoas de 16 a 49 anos (90%) e entre os mais velhos (com 50 anos ou mais), o percentual é de 81%. Entre aqueles que usaram este recurso pelo smartphone, 52% afirmam que o hábito aumentou desde a quarentena e 39% dizem que a frequência não mudou e apenas 9% responderam que diminuiu.

Entre os estratos sociais, 65% dos usuários nas classes A e B declaram terem aumentado a frequência de videochamadas com a pandemia, enquanto nas classes C, D e E o percentual é de 48%. Segundo o organizador da pesquisa e editor do Mobile Time, Fernando Paiva, estes números podem ser explicados pela natureza das atividades profissionais e os empregos dos brasileiros. "No grupo com maior renda há uma proporção maior de pessoas que trabalham em escritórios e que, durante a quarentena, passaram a trabalhar em casa, realizando videochamadas", comenta ele.

Segundo a pesquisa, o aplicativo mais utilizado para esta modalidade de conversa em vídeo é o WhatsApp, experimentado por 95% entre aqueles que já realizaram chamadas em vídeo. "É natural a liderança desse app se levarmos em conta que ele é o mais popular do Brasil, instalado em 99% dos smartphones, de acordo com a mais recente pesquisa Panorama Mobile", comenta Paiva. Em seguida, de acordo com a pesquisa, aparecem o Messenger (30%), Skype (26%) e Zoom (22%), este um novato.

As transmissões ao vivo crescem durante o isolamento social

No período de pandemia, os eventos presenciais foram substituídos pelas transmissões ao vivo (lives), em um formato que fez aumentar o uso dos smartphones para acesso a diversos tipos de conteúdo. Entre os pesquisados pelo Panorama Mobile Time/Opinion Box - Uso de Apps no Brasil, 75% dos internautas brasileiros afirmaram que já assistiram a uma transmissão ao vivo na tela do seu aparelho, dos quais 66% aumentando a frequência de visualização desta modalidade de eventos no período de confinamento em casa. O hábito é mais comum entre os jovens entre 16 e 29 anos são 83%. A proporção cai para 76% no grupo de 30 a 49 anos e para 59%, no grupo com 50 anos ou mais. Segundo a pesquisa, não há diferenças significativas por classe social ou gênero, mas sim por região do Brasil: o Nordeste está à frente entre aqueles que já assistiram a lives, com 84%. Na região Sul, o índice é menor: 70%.

Considerando o período de 12 meses, saltou de 38% para 51% a proporção de internautas brasileiros que assinam um serviço de streaming de filmes ou séries. A plataforma mais usada para consumo deste conteúdo são YouTube (84%), seguida por Instagram (54%) e Facebook (41%).

A preferência pelas plataformas, contudo, varia de acordo com idade, classe social e gênero. No público que vê lives no Instagram, por exemplo, há uma predominância de mulheres e de jovens entre 16 e 29 anos. No uso do Facebook para ver lives, por sua vez, a proporção é maior entre as pessoas das classes C, D e E do que entre aquelas das classes A e B. O YouTube é mais democrático na análise demográfica: não há diferenças expressivas por gênero, idade ou classe social.

Panorama Mobile Time/Opinion Box - Uso de Apps no Brasil é uma pesquisa independente realizada por uma parceria entre o site de notícias Mobile Time e a empresa de soluções em pesquisas Opinion Box. O questionário foi elaborado por Mobile Time e aplicado online entre 6 e 13 de maio de 2020 por Opinion Box junto a 2.017 brasileiros com 16 anos ou mais que acessam a Internet e possuem smartphone, respeitando as proporções de gênero, idade, faixa de renda e distribuição geográfica desse grupo. A margem de erro é de 2.2 pontos percentuais. O grau de confiança é de 95%








Presidente Jair Bolsonaro diz que insumos da CoronaVac chegarão nos próximos dias

25/01 | Brasil
A informação, segundo o presidente, foi repassada pela Embaixada do país asiático.

Justiça bloqueia R$ 600 mil do Sintrasem e autoriza desconto salarial de grevistas

25/01 | Geral
Conforme decisões judiciais dos últimos dias, a Comcap deveria voltar ao trabalho imediatamente.

CASAN emite nota que não explica nada sobre rompimento da lagoa artificial que alagou casas em Florianópolis

25/01 | Comunidade
A CASAN emitiu nota nesta manha em função do rompimento de lagoa artificial de infiltração que recebe efluente tratado da Estação de Tratamento de Esgotos da Lagoa da Conceição.

Equipes intensificam serviços para atender localidades impactadas pelas chuvas em Florianópolis

25/01 | Cidades
Equipes da prefeitura de Florianópolis segue com o direcionamento de equipes e disponibilizando equipamentos para minimizar os impactos causados pelos alagamentos e alto volume de água e rejeitos nas vias públicas

Ruptura em estação de tratamento da CASAN pode ter causado alagamento nas ruas da Lagoa da Conceição

25/01 | Comunidade
Segundo informações dos bombeiros, diversas casas foram alagadas, havia suspeita de vazamento de gás. Avenida das Rendeiras foi totalmente bloqueada nos dois sentidos.

Defesa Civil de Florianópolis alerta para risco de alagamentos e deslizamentos durante madrugada

24/01 | Cidades
O diretor da Defesa Civil Municipal de Florianópolis, Luiz Eduardo Machado, informa que nas próximas horas o volume de água deve continuar crescendo na cidade, pois a chuva deve permanecer constante.